Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
17/10/2018 Editorial

Intolerância Religiosa

A intolerância religiosa revela-se na intransigência com relação a religiões diferentes da que professamos. Ela pode levar ao uso drástico da força contra os seguidores de outros credos e outras religiões, para forçar conversões, reprimir a prática de outras manifestações religiosas ou extingui-las.

Perseguições, desrespeito e imposição pela força de crenças religiosas fazem parte da história da humanidade. Os noticiários referem-se, frequentemente a atos de intolerância religiosa, até com templos incendiados, imagens destruídas e manifestações diversas de ódio arraigado.

O Espiritismo opõe-se à intolerância, inclusive a religiosa, instrui-nos que devemos ser tolerantes e respeitar as crenças diferentes da nossa. As Leis Morais, compiladas por Allan Kardec, tratam do homem, da sua relação com Deus e com os semelhantes. Estabelecem as regras da vida do corpo e as da vida da alma, ensinam a distinguir o bem do mal, a fazer o bem e a respeitar o próximo, desestimulando o comportamento intolerante.

A Lei de Igualdade estabelece que todos os “homens estão submetidos às mesmas leis da Natureza. Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos seus olhos, são iguais” (1).

De acordo com a lei, não podemos impôr aos outros a nossa maneira de ver a vida e as nossas crenças. A imposição é uma atitude de falta de respeito e de caridade. Temos de respeitar o livre arbítrio dos outros na escolha das suas crenças, da mesma forma que exigimos que respeitem a nossa preferência religiosa.

A intolerância religiosa indica uma natureza espiritual imperfeita, ainda dominada pelo orgulho e egoísmo. O Espiritismo exorta que façamos esforços para dominá-los, desenvolvendo a humildade e o altruísmo. Essas qualidades são pré-requisitos essenciais para que tenhamos acesso aos planos espirituais felizes.

Desrespeitar a liberdade que as pessoas devem ter para escolher as suas crenças religiosas é atentar contra a liberdade de pensamento e ser descaridoso. O Espiritismo ensina a tolerância religiosa e que as diferenças religiosas devem ser tratadas com civilidade. Ele explica também que, para sermos felizes, temos que respeitar o próximo.

1. O Livro dos Espíritos, perg. 803, FEB

Volta ao topo da página
Inicial Obras Básicas Literatura Espírita Artigos Quadrinhos Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br