Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
Edição: Março/2008
Última atualização: 18/março/2008
Entrevista

Entrevista concedida por Vitor Ronaldo Costa

4. Pode-se afirmar que pelo tipo de espírito comunicante se reconhece a qualidade do médium?

Temos de levar em conta o medianeiro afeito às tarefas desobsessivas. São casos em que o médium socorrista, no exercício da mediunidade tarefa, apesar de seu grau de moralização, coloca-se na posição de humilde servidor de Cristo e disponibiliza o seu próprio corpo nas reuniões mediúnicas de auxílio aos espíritos necessitados, dando passagem aos sofredores e obsessores, para que sejam socorridos, orientados e devidamente evangelizados. Fora tais situações, o médium de boa qualidade mantém contato com os espíritos esclarecidos dos quais recebe as influências benéficas e protetoras, disponibilizando, inclusive, páginas psicografadas ricas em ensinamentos edificantes ou mensagens psicofônicas de alto valor evangélico. Todavia, caso as incorporações aconteçam sempre de forma perturbada e o medianeiro só atraia espíritos galhofeiros e mistificadores, é necessário que providências doutrinárias sejam levadas em conta. Mediante bem orientado processo de educação mediúnica ao lado do esforço próprio de melhoria íntima é bem provável que depois de certo tempo, o médium passe a receber as influências salutares de entidades benéficas interessadas, sobretudo, na evolução espiritual de seu protegido.

5. Como a mediunidade pode afetar a saúde do médium?

A mediunidade é uma pré-disposição psicobiofísica inerente ao ser humano. É uma espécie de sentido mais apurado capaz de permitir ao indivíduo a possibilidade de comunicar-se com o mundo espiritual. Em princípio, a faculdade mediúnica, só deve colaborar para o bem estar da criatura diante das amplas possibilidades ofertadas no campo do bem. Todavia, assim como outros sentidos físicos, a mediunidade, que tem a sua expressão orgânica, pode se ressentir, desde que submetida a fatores agressivos internos ou externos. Quando de sua eclosão, alguns sujeitos se ressentem em conseqüência do contato íntimo com o campo vibratório desarmônico dos espíritos sofredores ou obsessores. O tratamento espírita e a educação mediúnica adequada permitem a restauração do equilíbrio pretendido. A repressão mediúnica é outra fonte de desarmonia, a permitir que enfermidades estranhas, impossíveis de serem diagnosticadas pela medicina, afetem a economia do indivíduo. Mas a grande causa de transtornos complicados decorrem de fatores externos, a exemplo das obsessões complexas, que costumam afetar os médiuns invigilantes. Desde que a faculdade mediúnica seja gerenciada com sabedoria e conhecimento de causa, certamente o sensitivo, por toda a sua existência, jamais se sentirá afetado.

6. Os problemas socioeconômicos e sobretudo morais que se enfrentam hoje em dia são um obstáculo ao exercício da mediunidade?

De acordo com a visão proposta pela doutrina espírita sabe-se que os problemas sócio-econômicos e as deficiências morais comprometem imenso segmento da população terrena. Diante de tal constatação pode-se dizer que, com raríssimas exceções, o planeta abriga imensa leva de seres imperfeitos e devedores nos bancos da Divina Providência. As expiações contundentes e as provações corriqueiras atingem-nos em diferentes graus de comprometimento, por isso, ninguém pode considerar-se totalmente livre dos problemas citados, muito embora, aqueles indivíduos dotados de maior nível de conscientização, se esforcem no sentido de suplantá-los, por meio da confiança em Deus, da retidão de caráter, do trabalho honesto, do bom ânimo diante da luta terrena e da elevação do padrão vibratório mental por meio da prece e da vigilância constantes. Por mais sérios que sejam os problemas e dificuldades circunstanciais que enfrentemos nada deve nos impedir o cultivo correto do mandato mediúnico que nos foi confiado.


Vitor Ronaldo Costa nasceu em Natal (RN). Casado, é pai de quatro filhos e avô de vários netos. Formou-se em medicina e exerceu a clínica médica homeopática em Porto Alegre (RS) e em Brasília (DF), onde fixou residência e se aposentou da profissão.

Desenvolve múltiplas atividades no campo da divulgação espírita. É autor de várias obras doutrinárias, palestrante reconhecido e colaborador de inúmeros periódicos espíritas. Atua há cerca de trinta anos em reuniões mediúnicas desobsessivas praticadas em hospitais espíritas, participa de voluntariado assistencial e desenvolve pesquisas nos vastos campos da mediunidade e da obsessão espiritual, procurando conciliar os propósitos da medicina clássica com os aspectos científicos do Espiritismo.

Volta ao topo da página
Inicial Editorial Obras Básicas Outras Obras Matérias Quadrinhos Links Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br