Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
Edição: Setembro/2008
Última atualização: 17/setembro/2008
Editorial

Duas catástrofes naturais, uma em Mianmar e a outra na China, deixaram recentemente um saldo de mais de 120 mil mortos e centenas de milhares de feridos e desabrigados. A mídia trouxe imagens tristes de cidades e vilarejos destruídos e de pessoas sofrendo.

Com o aumento da população mundial, mais pessoas moram em regiões sujeitas a cataclismos, aumentando a probabilidade da ocorrência de novas tragédias coletivas. Os terremotos, vulcões, furacões, tsunamis e enchentes fazem parte dos processos geológicos e climáticos da Terra, são processos naturais e continuarão ocorrendo.

Frente a tragédias como essas, não podemos esquecer, como espíritas, que os espíritos medianos, antes de reencarnar, avaliando suas necessidades evolutivas e precisando passar por determinadas provas ou expiações, podem planejar sua reencarnação em uma região sujeita a instabilidades geológicas ou climáticas, podendo sofrer a qualquer momento durante a sua vida os rigores da ação desses processos naturais.

A respeito do assunto, os Espíritos Superiores, na pergunta 740 de O Livro dos Espíritos, esclareceram Kardec que:"Os flagelos são provas que dão ao homem ocasião de exercitar a sua inteligência, de demonstrar sua paciência e resignação ante a vontade de Deus e que lhe oferecem ensejo de manifestar seus sentimentos de abnegação, de desinteresse e de amor ao próximo, se o não domina o egoísmo".

Ao enfrentar um evento dessa natureza, o indivíduo não deve culpar o Criador pelas suas dores, fruto de planejamento evolutivo. Por livre e espontânea vontade escolheu esse gênero de prova ou expiação e, portando-se com resignação e coragem ativa colherá os benefícios da prova.

Volta ao topo da página
Inicial Obras Básicas Matérias Entrevista Quadrinhos Links Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br