Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
Edição: Dezembro/2008
Última atualização: 04/março/2009
Editorial

"Deus não me deu o dom do perdão!" ... Essa é uma das frases escapistas que usamos quando ofendidos e magoados, tentando justificar o cultivo da raiva contra nossos supostos agressores.

Cheios de "humildade" trazemos à luz a "enorme" distância que nos separa de nossos modelos: Chico Xavier, Irmã Dulce e outros espíritos mais adiantados, como se eles tivessem tudo recebido por "graça" de Deus.

Mas nós, espíritas, sabemos que os "dons", qualidades morais ou intelectuais que despertam admiração, não são distribuídos de forma aleatória pelo Criador. Eles são adquiridos por meio de muito esforço através das encarnações, conforme ensinamento do Espiritismo.

A capacidade de perdoar verdadeiramente, o "dom" do perdão, por exemplo, que certas pessoas apresentam e por isso são consideradas com respeito e simpatia, é adquirido por meio de muito empenho e abnegação, na convivência com desafetos, em testemunhos sofridos e edificadores, ao longo das reencarnações.

Tais experiências, quando suportadas com ânimo e sem revolta, transformam a mágoa ou o ódio em amor, o orgulho em humildade, o fraco em forte. Esse é o caminho que percorreram nossos "Chicos" e "Irmãs Dulce", e que nós, à nossa vez trilharemos; o quanto antes melhor.

Nessa época de fim de ano, de festas comemorando o nascimento de Jesus e a chegada de um novo ano, lembremos o exemplo do Mestre Jesus, que nos ensinou o amor e o perdão, e que esses ensinamentos nos ajudem a suportar as provas da vida, com paciência e bom ânimo, fortalecendo-nos nas trilhas da evolução.

Volta ao topo da página
Inicial Obras Básicas Matérias Quadrinhos Links Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br