Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
Edição: Março/2009
Última atualização: 1º/agosto/2009
Editorial

Na vida podemos ter momentos felizes, seguidos de um período longo de sofrimento. A infelicidade generalizada pode ser explicada por estarmos vivendo em um mundo de prova e expiação, onde o mal ainda exerce uma forte influência no nosso comportamento.

Esse estado transitório marcado pela brutalidade, constrange-nos a colocar a felicidade na busca exclusiva de bens materiais e na satisfação dos sentidos, em detrimento das nossas necessidades de aprimoramento espiritual.

Mas, se ainda não temos condições de sermos integralmente felizes, podemos ter uma felicidade relativa na Terra. Na resposta à pergunta 922, de O Livro dos Espíritos, os Espíritos Superiores deixaram o seguinte conselho para sermos felizes em um mundo de prova e expiação: “Com relação à vida material, é a posse do necessário. Com relação à vida moral, a consciência tranqüila e a fé no futuro”.

Complementa, o espírito Fénelon, em O Evangelho Segundo o Espiritismo, com a seguinte advertência (item 23): “Que de tormentos, ao contrário, se poupa aquele que sabe contentar-se com o que tem, que nota sem inveja o que não possui, que não procura parecer mais do que é. Esse é sempre rico, porquanto, se olha para baixo de si e não para, cima, vê sempre criaturas que têm menos do que ele. É calmo, porque não cria para si necessidades quiméricas. E não será uma felicidade a calma, em meio das tempestades da vida?”.

Portanto, podemos ser ainda felizes se seguirmos os conselhos dados pelos Espíritos Superiores, que nos estimulam a contentarmo-nos com o necessário e a respeitarmos o próximo, prevenindo-nos de dissabores e sofrimentos advindos da inveja, da cobiça, das ansiedades sociais construindo um futuro ditoso com uma consciência tranquila.

Volta ao topo da página
Inicial Obras Básicas Matérias Entrevista Quadrinhos Links Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br