Resenha Espírita
Brasília/DF - Brasil
Edição: 4/2011
Última atualização:13/12/2011
Editorial

Vem chegando mais um final de ano, quando experimentamos uma certa sensação diferente.

Uns, sentem-se tristes, quase deprimidos, como se sentissem que algo lhes escorre pelas mãos, sendo impotentes para reter essa coisa indefinida.

Outros, sentem algo arrebatador, uma euforia quase incontrolável, como se algo pleno de surpresa, ou volúpia, se aproximasse arrastando tudo e todos consigo.

Há os que sentem uma harmonia íntima, uma vontade de melhorar, de fazer bem feito, de refletir sobre a vida e o que seja verdadeiramente importante .

Ainda encontramos aqueles que se sentem incomodados com tanta movimentação, correria de compras, propaganda barulhenta, ansiando por tudo acabar com a volta da rotina.

E há os que nada sentem, nada ouvem, nada pensam, nada aspiram e passam indiferentes por mais uma data comemorativa no calendário.

A humanidade apresenta ainda muitas outras reações ao Natal. Nós mesmos, podemos transitar em alguns desses estados de ânimo, com altos e baixos, agitação e calmaria. O importante, para nós, é que busquemos entender mais profundamente a razão de comemorarmos o aniversário do Mestre, de nos tornarmos pessoas melhores, mais úteis, mais amorosas.

Comemoremos a data escolhida para marcar o nascimento de Jesus, lembrando suas lições, seus exemplos, e que esta seja um marco de novos esforços para nossa renovação moral.

A equipe da Resenha Espírita deseja um feliz natal a todos nossos leitores.

Volta ao topo da página
Inicial Obras Básicas Outras Obras Matérias Entrevista Quadrinhos Links Arquivo

Fale conosco: resenha@resenhaespirita.com.br